Etiquetas

9 de novembro de 2017

SINTRA, PALÁCIO DA PENA, HISTÓRIA E ROMANTISMO


SINTRA LENDAS E MISTÉRIOS

Palácio da Pena, Sintra
 Palácio da Pena
Após um dia repleto de encantos e mistérios na Quinta da Regaleira, hoje partilho as belezas do Palácio da Pena, expoente máximo do Romantismo do século XIX em Portugal.
Panorama do Palácio da Pena, Sintra
Panorama do Palácio da Pena, Sintra
No cume da Serra de Sintra, em 1838, o príncipe de origem alemã D. Fernando de Saxe-Coburgo-Gota, marido da rainha D. Maria II, adquire o Mosteiro Jerónimo de Nossa Senhora da Pena que se encontrava em ruínas. 
Panorama do Palácio da Pena, Sintra
Panorama do Palácio da Pena, Sintra

PALÁCIO DA PENA

Palácio da Pena, Sintra
Palácio da Pena, Sintra
D. Fernando II inicia a reconstrução da Capela, do Claustro e da Torre do Mosteiro, contudo mantém a magnífica estrutura de renascentista, limitando-se à reconstrução com um toque de romantismo acrescido mas preservando a arquitetura existente.
Palácio da Pena, Sintra
Claustro Manuelino Palácio da Penha
 A ala do Mosteiro reconstruída, distingue-se pela sua cor vermelha do Palácio da Pena.
Palácio da Pena, Sintra
D. Fernando II um amante da arte portuguesa teve como principal objetivo transformar o Mosteiro numa residência de verão, inspirando-se essencialmente no romantismo oitocentista.
Palácio da Pena, Sintra
Entre 1843 a 1847 foi construída uma nova ala ampliando desta forma o Mosteiro, surgindo o Palácio Novo, com os enormes salões, aposentos e a torre circular, esta ala do Palácio da Pena é pintada de amarelo.
Palácio da Pena, caminho de ronda
Palácio da Pena, caminho de ronda
Palácio da Pena, caminho de ronda
O Palácio da Pena com as duas alas envolvidas pelo caminho de ronda, transformou-se num Palácio acastelado, dos Palácios mais fascinantes e belos que já tive o privilégio de visitar.
Palácio da Pena, caminho de ronda
Ao longo do caminho de rondo podemos admirar o túnel de acesso, a ponte levadiça, as ameias e as torres de vigia.
Palácio da Pena, caminho de ronda
Palácio da Pena, caminho de ronda
Ao longo de todo o passeio pelo Palácio da Pena observamos diferentes estilos arquitetónico, com influências orientais, inspirações de arte manuelina. A título de pausa e sempre admirando as exuberantes paisagens fizemos uma refeição na esplanada do palácio.
Palácio da Pena, caminho de ronda
Palácio da Pena
Palácio da Pena, caminho de ronda
Nada foi feito ao acaso, toda a arquitetura teve um propósito aos olhos de D. Fernando II, conforme vamos avançando e lendo as explicações de cada pormenor, mais ciosos ficamos por alcançar mais conhecimento sobre este exuberante Palácio, que mais parece um palácio de uma história narrada com base num conto de fadas. 
Pórtico do Tritão
Pórtico do Tritão

Janela neomanuelina, Palácio da Pena
Janela neomanuelina
Todos os diferentes estilos e inspirações, criaram verdadeiras obras de arte como por exemplo o pórtico do Tritão, a janela neomanuelina, de inspiração na janela existente no Convento de Cristo em Tomar.
Janela neomanuelina, Portico do Tritão, Palácio da Pena
 Pórtico do Tritão e Janela Neomanuelina
Entrada Pórtico do Tritão
Entrada Pórtico do Tritão
No interior do Palácio da Pena começando pelos corredores, aposentos, salões reais, é entrar numa atmosfera de romantismo num espaço que transpira intimidade de uma elegância ímpar.

Palácio da Penha
D. Fernando II Palácio da Penha
D. Fernando II interior do Palácio da Penha
Não existem palavras que descrevam melhor, que as imagens do próximo post que será publicado amanhã, em que cada um pode avaliar ao seu belo prazer.